blog psicóloga vila mariana

Ansiedade: os 11 principais sintomas, as causas e tratamentos

sentimos angustia sem saber o por que
Muitas vezes estamos angustiado e não sabemos por quê. Se essa sensação
aparece muitas vezes, você pode estar sofrendo com Transtorno de Ansiedade


Ainda que você passe bem longe da ansiedade em seus dias típicos, é fato: você já a experimentou.

Antes de provas importantes, apresentações de ideias em público, estreia em uma nova ocupação ou início de relacionamento, lá estava ela.

Por isso se fala tanto que a ansiedade é uma sensação normal — afinal, ela naturalmente se manifesta quando passamos por algum tipo de estresse ou medo.

E isso é útil.

Pois significa uma resposta a ameaças. Significa que estamos atentos aos desafios. Significa instinto de sobrevivência.

Mas você vai concordar que, nesses casos, a ansiedade é passageira. E, mesmo que considerada intensa, não é incontrolável. Você consegue relaxar e se sentir bem depois do momento de aflição.


Então, quando a ansiedade é prejudicial?

A ansiedade se torna um problema de saúde quando as sensações de angústia não mais se limitam a momentos específicos e passam a ditar o humor diário.

Ela se desenvolve aos poucos, se alimentando do acúmulo de estresses cotidianos mal resolvidos.

E vai deixando sinais, no corpo e no comportamento, que se intensificam conforme novos estímulos (interpretados como negativos) são experimentados.

É possível que, justamente por considerar a ansiedade uma reação normal, você não esteja percebendo que é ela a responsável pelo mal-estar crônico que você vem enfrentando.

Muitas condições de saúde física, inclusive, são consequências da ansiedade.

Um exemplo? Bruxismo.

Não importa seu empenho em tratamentos ortodônticos. Se as causas do transtorno estiverem relacionadas à ansiedade, você continuará apertando e rangendo os dentes.


Leia também: Qual a diferença entre síndrome do pânico e ansiedade?


Qual a solução para a ansiedade?

muito trabalho gera ansiedade e cansaço
Aprender a identificar quando se está ansioso é essencial para melhorar
o seu estado através de alguma ação, como levantar para beber água


O primeiro passo é aprender a identificar os indícios da ansiedade — que aparecem tanto no funcionamento do corpo quanto em pensamentos e hábitos.

Para ajudar você a perceber quais são esses sinais, confira a lista a seguir.


11 principais sintomas da ansiedade

Avalie o nível de frequência dessas situações em seu cotidiano:


1. Preocupação excessiva

Suas preocupações são desproporcionais aos eventos desencadeantes?

Coisas banais ganham uma importância exagerada e ocupam sua mente por longo tempo?

Os pensamentos sobre a circunstância preocupante se tornam intrusivos e cada vez mais negativos/catastróficos em termos de perspectivas?


2. Insônia

Você tem dificuldade para pegar no sono?

Tem um sono muito agitado, com pesadelos?

Acorda várias vezes durante à noite?

Acorda cansado no dia seguinte?


3. Dificuldade de concentração

Você tem dificuldade de lembrar de coisas que acabou de ver?

Se pega desatento durante conversas?


4. Agitação e inquietação

Você nota tremores nas mãos?

Percebe respiração e/ou batimentos cardíacos acelerados?

Fica se movendo (ou movendo determinadas partes do corpo) em ocasiões que o intimidam?


5. Problemas para tomar decisões

Seu raciocínio fica embaralhado?

Fica sem ação ou emudecido quando deveria expressar suas ideias e emoções?

Demora a encontrar respostas adequadas ou acaba agindo de forma impulsiva?


6. Irritabilidade

Você é dado a explosões de raiva?

Mágoa, sem querer, pessoas que tentam conversar com você para ajudá-lo?

É impaciente com esperas?

Um dos sintomas da ansiedade é a preocupação excessiva
O Transtorno de Ansiedade pode nos fazer sentir que estamos sozinho.
Procure algum amigo ou familiar e fale o que está sentindo.


7. Fadiga

Você se sente exausto logo no início do dia?

Não encontra motivação ou disposição para tarefas cotidianas?

Percebe que sua energia está cada vez mais baixa?


8. Comportamentos compulsivos

Você busca alívio de sensações de vazio, tédio e desconforto em distrações que se tornam nocivas?

Se percebe viciado em alguma válvula de escape — comida, internet, jogos, drogas (lícitas ou ilícitas), compras… — para obter alguma tranquilidade?


9. Tensão muscular

Você observa que seu corpo apresenta movimentos muito rígidos?

Seu alongamento é mínimo?

Sente dores crônicas, sensação de peso na região da coluna ou em determinados membros do corpo?

Tem bruxismo, cãibras ou espasmos noturnos?


10. Lapsos de memória

Esquece coisas importantes que aconteceram durante o dia?

É descrito como desatento por pessoas que convivem com você?

Precisa conferir várias vezes se realmente fez o que deveria?


11. Evitação

Você se esquiva de situações banais por imaginar que representam uma ameaça ao seu bem-estar?

Você sente medo paralisante ou impulsos de fuga quando precisa enfrentar essas situações?


Quando procurar ajuda

Se você respondeu “sim” ou “com frequência” a diferentes perguntas dos tópicos acima, converse com um profissional de saúde mental.

Os sintomas podem ser indícios de algum transtorno de ansiedade.


Causas da ansiedade

Ansiedade faz a pessoa se que não vai dar conta das tarefas
Procure ajuda de um profissional qualificado, pois os motivos da ansiedade
podem ser muitos, por exemplo, o hipertireoidismo

As causas exatas dos transtornos de ansiedade são motivos de pesquisa, pois uma resposta definitiva ainda não foi encontrada.

No entanto, as seguintes hipóteses costumam ser pontuadas:

  • herança genética;
  • estresse excessivo;
  • traumas de infância ou do passado;
  • efeito colateral de medicamentos;
  • abuso de substâncias (álcool, drogas, nicotina e cafeína);
  • desequilíbrio na produção de neurotransmissores (em especial a serotonina);
  • problemas de saúde física (tais como hipertireoidismo e anormalidades cardíacas);
  • presença de outras condições de saúde mental (depressão, bipolaridade e autismo, por exemplo).


Tratamentos para a ansiedade

A indicação de tratamento para a ansiedade irá depender do quadro específico do paciente.

Geralmente, em casos mais graves — ou que necessitem de gerenciamento rápido — medicamentos (antidepressivos que tratam a ansiedade) são prescritos por um médico.

O encontro da medicação adequada pode levar um tempo. Logo, é fundamental relatar ao médico qualquer efeito colateral dos psicofármacos e manter a posologia sugerida (sem aumentar ou diminuir doses por conta própria) até obter instruções do profissional.

Porém, os medicamentos são apenas parte do tratamento para ansiedade.

A psicoterapia é fortemente recomendada para complementar os cuidados com a condição.Saiba: Passo a passo para tratar a ansiedade


Por que a terapia é indicada para o controle da ansiedade?

o que ajuda para melhorar a ansiedade
Atitudes simples ajudam a controlar a ansiedade. Porém, não substitui a
ajuda de um profissional como o psicólogo ou o psiquiatra

A terapia vai além do medicamento — que pode promover o bem-estar físico e minimizar sintomas da ansiedade, mas não chega às origens do problema.

Se as causas da ansiedade forem de ordem psicológica (ou seja, não resultante de um problema de saúde física), nenhum remédio resolverá os gatilhos do transtorno.

Assim, o tratamento que se destaca no controle da ansiedade é a terapia cognitivo comportamental (TCC).

Essa abordagem psicoterapêutica avalia 3 elementos básicos de nosso desempenho diário: pensamentos, emoções e comportamentos. Identifica conexões entre eles, ensinando técnicas para modificar padrões disfuncionais.

O princípio da terapia cognitivo comportamental é que são os nossos pensamentos que determinam a forma como reagimos às situações. Ou seja, não é a situação em si que causa medo ou nervosismo. Mas sim a forma como a enxergamos. E isso depende de nossas crenças, cultura e raciocínios adquiridos com a experiência.

Logo, a TCC irá tratar o problema buscando os pensamentos limitantes e negativos que geram a ansiedade, apresentando estratégias objetivas para alterá-los.

A ideia é que, ao modificar o modo como pensamos, obtemos resultados na forma como nos sentimos e nos comportamos.


Outras informações sobre terapia cognitivo comportamental para ansiedade

Se você tem dúvidas sobre a terapia comportamental para ansiedade, fique à vontade para escrevê-las no campo dos comentários, ao final deste texto.

Se preferir, pode entrar em contato com a psicóloga Luana Nodari por meio do formulário do site e apresentar suas perguntas ou agendar uma consulta.

psicologa-vila-mariana-Luana-Nodari







Luana Nodari é Psicóloga e Neuropsicóloga
Atende em sua clínica na Vila Mariana / SP, adolescentes e adultos,
através da Terapia Cognitivo-Comportamental
CRP: 06/112356

Deixe uma resposta

Contato

Luana Nodari
Psicóloga/Neuropsicóloga
CRP: 06/112356

Localização

Rua Domingos de Morais, 2781 - cj 311
Vila Mariana, São Paulo, SP
CEP: 04035-001

Redes Sociais

Ao lado da estação do Metrô Santa Cruz

Estacionamento no local