blog psicóloga vila mariana

Déficit de Atenção: o que é e como tratar

Quando carregado para a vida adulta, o TDAH pode resultar em dificuldades no gerenciamento do tempo, falta de organização, dificuldades em estabelecer e cumprir metas. Como resultado, os indivíduos com esse diagnóstico também podem ter problemas em seus relacionamentos, emprego e vida social.

Geralmente diagnosticado durante os primeiros anos da infância, quando os sintomas se tornam mais aparentes, o Transtorno de Déficit de Atenção pode causar confusão em alguns pais e responsáveis.

Afinal, a criança é portadora do TDAH ou é naturalmente agitada? Será que ela é apenas muito distraída ou pode haver um distúrbio por trás desse comportamento? Estas e outras perguntas podem ser respondidas ao se conhecer melhor os sintomas, causas e tratamentos. Confira a seguir.

O que é o Distúrbio de Déficit de Atenção e por que ele acontece?

É comum que crianças e adolescentes com Transtorno de Déficit de Atenção sejam rotuladas como “distraídas”, “desatentas” ou, ainda, que vivem sempre “no mundo da lua”. No entanto, quando estes sintomas acontecem por conta do DDA, as consequências podem ir além.

O Distúrbio de Déficit de Atenção caracteriza-se por uma disfunção neurológica que afeta o córtex pré-frontal. Conhecida como uma das áreas mais interessantes do cérebro humano, sendo responsável por processos mentais e cognitivos complexos.

Quando o córtex pré-frontal não funciona corretamente as capacidades de foco, organização, controle de impulsos, aprendizado, comportamento social, expressão de sentimentos, personalidade e até o discernimento do bem e do mal podem ser prejudicados.

Ainda não se sabe ao certo a causa deste transtorno. No entanto, estudos apontam que fatores como hereditariedade, prematuridade e lesões/deficiências cerebrais durante o desenvolvimento podem aumentar os riscos.

Transtorno de Déficit de Atenção: conheça os sintomas

Nem todo portador do Transtorno de Déficit de Atenção é hiperativo. Logo, os sintomas podem se apresentar de maneiras diferentes em algumas crianças, por isso a importância de um diagnóstico profissional.

Os principais sinais de desatenção são:

  • Curtos períodos de atenção, distraindo-se com facilidade;
  • Erros e descuidos frequentes em atividades escolares;
  • Parece esquecido ou perde coisas frequentemente;
  • Não consegue executar tarefas longas;
  • Dificuldade em prestar atenção e executar instruções;
  • Muda de atividade ou tarefa constantemente;
  • Tem dificuldades em se manter organizado.
  • Quando há hiperatividade (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade – TDHA), os sintomas podem incluir:
  • Não conseguir ficar parado, especialmente em locais calmos e silenciosos;
  • Inquietude constante;
  • Incapacidade de se concentrar em tarefas;
  • Estar constantemente em movimento;
  • Dificuldade em esperar sua vez de agir ou falar;
  • Comportamento impulsivo;
  • Dificuldade em avaliar situações de perigo.

Sintomas como estes podem causar problemas significativos na vida durante a infância, como desempenho escolar insuficiente, interação social com crianças e adultos prejudicada e indisciplina.

Apesar de não ser uma regra, o DDA ou TDHA podem ser sinais de outros problemas ou condições, como transtorno de ansiedade, transtorno opositivo-desafiador (TOD), dislexia, transtorno do espectro autista, entre outros.

Quando procurar um especialista?

Assim como os sintomas podem se apresentar de maneiras diferentes, nem todas as crianças que apresentam desatenção, impulsividade, inquietude e/ou desorganização têm déficit de atenção.

Logo, ao notar que um ou mais problemas listados acima estão prejudicando as atividades da criança na escola, em casa e/ou em seu convívio social, é importante procurar um especialista. Um psicólogo analisará os sintomas e, a partir do diagnóstico, poderá dar início à psicoterapia, melhorando significativamente o desempenho do paciente em diversos aspectos de sua vida, independentemente da idade.

Medicamentos reguladores da atividade do córtex pré-frontal podem, ou não, ser indicados. Contudo, é importante que a prática de atividades físicas, planejamento de rotina, regras, positivismo e incentivos, definição de limites, acompanhamento escolar e apoio familiar sejam constantes.

É possível que os sintomas desapareçam com a idade e o tratamento. No entanto, há casos onde o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade podem acompanhar o paciente durante toda a vida. O acompanhamento psicológico, por sua vez, diminuirá os prejuízos e amenizará os sintomas, devolvendo qualidade de vida e bem-estar.

#Psicologia #VilaMariana #Psicóloga #SaúdeMental #DéficitDeAtenção #ClínicaDePsicologia

Deixe uma resposta

Contato

Luana Nodari
Psicóloga/Neuropsicóloga
CRP: 06/112356

Localização

Rua Domingos de Morais, 2781 - cj 311
Vila Mariana, São Paulo, SP
CEP: 04035-001

Redes Sociais

Ao lado da estação do Metrô Santa Cruz

Estacionamento no local