blog psicóloga vila mariana

Luto: como lidar com a dor? 6 atitudes que podem ajudar

Como Lidar Com A Dor Do Luto
É importante vivermos o luto. Ele nos ensina a noção de finitude


O luto acontece quando algo ou alguém se ausenta, sem possibilidade de retorno.

Quando perdemos uma parte de nós, que estava em outro lugar, que já não existe mais.

Porque pensamos no luto muito associado à morte de um ente querido, mas ele também acontece em outros momentos da vida.

No término de um relacionamento, na perda de um emprego, no fim de uma amizade…

Enfim, em tudo aquilo que não tem volta e encerra uma experiência de contato.

O luto é o que nos ensina a noção de finitude.

O luto, temporariamente, nos faz estranhar o reflexo no espelho.

Nos perdemos um pouco naquilo que se vai.

Precisamos reinventar a presença perdida.

Ocupar seu espaço.

E o primeiro candidato é sempre o sofrimento.

Sua escolha é natural, pois a ruptura com o mundo, tal como ele era antes, traz a dor de um coração partido — que podemos sentir metafórica e fisicamente.

Certamente, não há um “passo a passo” para lidar com o luto de uma maneira confortável e rápida.

O sofrimento é uma sensação inevitável da vida e, vez ou outra, todos nós nos sentiremos quebrados, despedaçados, inconsoláveis.

Porém, é possível viver a experiência com compreensão.

Nesse ponto, cabe, então, uma primeira dica que pode ajudar:


1. Permita-se sofrer

Não tenha tanta pressa em parecer bem.

Deixe seus sentimentos aparecerem.

Aceite que você está atordoado e que não tem controle imediato sobre a superação do sofrimento.

Não se preocupe tanto em querer ser forte e produtivo.

Dê um tempo para seu caos interno se manifestar.

Reconheça a verdade e a necessidade de passar pelas tempestades do luto.


2. Vivencie o processo

Importancia De Vivenciar O Luto
Viver a tristeza do luto faz parte do processo. Seja paciente com você mesmo
ou com as pessoas que passam pela situação

Você vai querer se livrar da tristeza o quanto antes.

Afinal, o luto traz um peso imponente em sua rotina, como se sugasse sua energia e capacidade de concentração.

Viver assim é árduo e você anseia pelo dia em que irá acordar longe dessa sensação esmagadora no peito.

Mas, para ficar bem, você precisa entender que há um tempo de recuperação.

Para algumas pessoas, é importante passar um período sozinhas.

Outras, sentem a necessidade de chorar.

Algumas, ficam mais caladas. Outras, mais irritadas.

Tudo é normal e deve ser intimamente respeitado como parte do processo de elaboração do luto.

Seja paciente com sua ferida emocional.

Não exija cura instantânea.

Com o tempo, ela cicatriza.


3. Seja gentil consigo mesmo

O trauma do luto pode nos levar a um certo abandono dos autocuidados.

Ou seja, quando perdemos alguém que amamos — ou algo que adorávamos fazer —, nosso apetite, sono e hábitos tendem a exibir as consequências.

Ter ciência disso pode fazer a diferença.

Pois, sabendo que a melancolia pode nos entorpecer, temos melhores chances de identificar padrões de enfrentamento negativos — e evitá-los.

Faça um esforço racional para ouvir e dar atenção para seu corpo.

Não espere que um senso de “normalidade” aconteça para, então, voltar a cuidar de si.

Alimentação saudável, descanso adequado e fuga de comportamentos prejudiciais — como abuso de álcool, cigarros, automedicação, desleixo ou excesso de trabalho — lhe ajudarão a construir resiliência.


4. Escreva para quem se foi

Maneiras De Lidar Com O Luto Escrever
Expressar seus sentimentos é uma maneira saudável para passar
por momentos tristes


Experimente redigir cartas para a pessoa ausente.

Diga o que não teve ocasião de falar antes do adeus. Fale sobre seus dias. Descreva o que o luto faz você pensar e lembrar.

Embora você saiba que ela não irá responder, colocar em palavras aquilo que você está sentindo ajuda a organizar seus pensamentos e, de algum modo, desabafar.

Algumas pessoas se sentem bem compartilhando seus escritos nas redes sociais.

Outras, preferem manter os registros apenas para si.

Não há uma regra. Faça da forma como se sentir mais à vontade.


5. Cultive memórias

Superar o luto não significa buscar esquecê-lo.

Ao contrário, a ideia de superação do luto envolve lembrar a morte — mas deixar de vê-la como um fim absoluto.

É inegável que a presença do que se foi continua em nossa memória.

E podemos usá-la para manter próximos os pequenos momentos felizes.

Algumas pessoas usam peças de roupas que trazem lembranças.

Outras, reveem um filme, revisitam um livro, uma música, um lugar.

Ou repetem algo que faziam juntos, de uma maneira que se sentem na companhia de quem partiu.

O bem que você viveu é parte de sua história.

Não se prive de lembrá-lo.


6. Leia sobre o luto

Pesquisar Sobre O Luto Ajuda
O luto nos faz sentir várias emoções que muitas vezes não sabemos o porquê.
Pesquisar e entender mais sobre o assunto ajuda a passar melhor pelo processo

Aquilo que nos paralisa, quando melhor compreendido, se torna mais gerenciável.

Isso vale para qualquer assunto ou condição, incluindo o luto.

Nos sentimos sozinhos na perda, mesmo a partilhando com pessoas próximas.

Porque cada um experimenta a dor por uma perspectiva diferente. Se comporta diferente.

O modo como cada um lida com suas feridas é algo bastante particular.

Mas, quando você lê especialistas ou boa literatura, você sai do seu recorte específico e entende o luto como uma experiência humana.

Sua individualidade se expande a novos entendimentos sobre a dor.

Encontra palavras que descrevem seu sofrimento.

Descobre que é normal sentir culpa, raiva, desatenção, não chorar ou voltar a sofrer, tempos depois.

Aprende que pode interpretar o luto como um ritual de passagem necessário, cujas ações cabe a você desenvolver e aceitar.

Enfim, ao buscar melhor entender o luto, você se sente mais acolhido, compreendido. E apto a atravessá-lo.

Se você leu e gostou deste artigo, envie para outras pessoas!

Se puder, deixe um comentário para conhecermos suas opiniões e dúvidas.

psicologa-vila-mariana-Luana-Nodari








Luana Nodari é Psicóloga e Neuropsicóloga
Atende em sua clínica na Vila Mariana / SP, adolescentes e adultos,
através da Terapia Cognitivo-Comportamental
CRP: 06/112356

Deixe uma resposta

Contato

Luana Nodari
Psicóloga/Neuropsicóloga
CRP: 06/112356

Localização

Rua Domingos de Morais, 2781 - cj 311
Vila Mariana, São Paulo, SP
CEP: 04035-001

Redes Sociais

Ao lado da estação do Metrô Santa Cruz

Estacionamento no local