blog psicóloga vila mariana

Por que é importante termos empatia

A melhor forma de compreender a importância da empatia é pensar na própria experiência. Mais especificamente, lembrar de momentos nos quais você precisou dela.

Naquela fase difícil de sua vida, quando a sensação de fracasso o atingiu em cheio, como gostaria que as pessoas próximas agissem com você?

Procurava por conselhos sobre relacionamento, ao desabafar com um amigo sobre sua decepção amorosa? Pretendia obter sugestões de onde conseguir um novo emprego, após contar sobre sua demissão? Estava ansioso para receber críticas aos seus hábitos, quando seus exames apontaram um problema de saúde?

Certamente, não eram essas as reações que você desejava obter. Ao menos, não naquele momento.

Ao falar sobre a dor que sentimos — antes de esperar por qualquer ideia de solução — queremos ser ouvidos. Sem julgamentos, correções, comparações.

Queremos alguém que nos escute, com atenção genuína, sem pretensões de “consertar” nossos sentimentos.

É precisamente essa a essência da empatia.

Mas, se a empatia não pressupõe a resolução de problemas, como ela pode ser útil? Por que, afinal, é importante?

Vamos entender melhor essa questão, analisando alguns exemplos.

Importância da empatia nas relações familiares

“Você me diz que seus pais não entendem. Mas você não entende seus pais” — cantou Renato Russo, na música “Pais e Filhos”.

O que falta nessa equação é empatia.

Não se trata de concordar com outro. Mas fazer um esforço para compreender um ponto de vista diferente.

Por mais unida que seja uma família, cada um de seus integrantes têm vida própria.

Isso implica em opiniões, escolhas e personalidades distintas.

Deseja um bom convívio familiar? Aceite o conflito de ideias.

Apresente seus argumentos, quando não concordar com uma determinada postura. Ser empático não é ser condescendente.

Porém, antes de se apressar em demonstrar suas razões, esteja realmente aberto a escutar como seu familiar interpreta aquela situação.

Faça perguntas. Desenvolva sincero interesse em conhecer pensamentos que não correspondem aos seus.

Entender o raciocínio alheio não esvazia o seu. Ignorar ou silenciar percepções discordantes, isso sim, empobrece seu discurso.

Lembre que a verdade, dificilmente, gosta de “donos”. Ela prefere ser plural.

Importância da empatia entre amigos

Um bom amigo não é aquele que corrige nossa direção. Mas, sim, aquele que respeita nosso caminho.

A máxima da empatia é se colocar no lugar do outro. Algumas pessoas entendem errado essa proposta. Imaginam que isso implica em considerar o que fariam se fossem elas a ocupar aquele lugar.

Vamos esclarecer: demonstrar empatia não é se projetar na narrativa que você escuta. Guarde essa habilidade para a entrevista de emprego, quando é convidado a expor uma solução a partir de suas convicções.

Ao ouvir um amigo com problemas, adote a perspectiva que ele lhe apresenta. Ele é protagonista — não você.

Seja “todo ouvidos”. Processe as informações e dê a única coisa que ele espera de você nesse momento: sua companhia. Seu apoio.

Acredita que pode contribuir, compartilhando algo que aprendeu com sua experiência pessoal? Aguarde a hora oportuna de fazer essa intervenção. E jamais faça isso em tom professoral.

O que você viveu e o que fez para superar seus sofrimentos espelham sua individualidade. É generoso revelar onde encontrou forças para seguir em frente. É possível que sua luta sirva de inspiração.

Apenas tenha em mente que vidas não se repetem.

Suas ações não são modelos. Na melhor das hipóteses, são metáforas. Como ocorre com filmes e livros, cujas histórias não nos pertencem, mas nos fazem refletir.

Importância da empatia no trabalho

Independentemente de área de atuação, a empatia sempre será um diferencial em sua performance.

Mais do que isso: sua capacidade de empatizar define, significativamente, a excelência de seus serviços.

Afinal, você pode ter muito conhecimento técnico, colecionar diplomas e dispor de recursos invejáveis. Mas nada disso garante que seu produto ou serviço esteja de acordo com as expectativas de seu consumidor.

Você não obtém sucesso só porque sua produção é impecável. Você conquista o mercado quando estabelece elos entre o que é capaz de fazer e o que as pessoas desejam receber.

Em outras palavras, para ser um bom profissional, você precisa “ler” a mente de seu público consumidor. Deve decifrar suas vontades, necessidades, gostos, fantasias. E desenvolver seu trabalho, privilegiando a conexão com essas informações.

Importância da empatia na comunicação

A comunicação empática dá prioridade ao receptor da mensagem. Ou seja, adequa explicações, vocabulário e tom de voz, de forma a favorecer o entendimento.

Quando você conversa com uma criança, por exemplo. Se espera que ela compreenda suas orientações, sabe que precisa usar referências que façam sentido para ela.

Em discussões, a empatia é um recurso transformador. Quando você se propõe a compreender como o pensamento do outro se desenvolve, consegue identificar os “ruídos” na comunicação.

Faça questionamentos, ao invés de afirmações.

Busque a lógica na versão da história que diverge da sua.

Essa postura não irá anular seu ponto de vista. Mas dará espaço a uma conciliação inteligente.

Como saber se está praticando a empatia do jeito certo? Você notará que a outra pessoa se acalma, reduz o ataque e busca sintonia.

A tendência é que, ao oferecer empatia, você a receba de volta. Ou seja, todos só tem a ganhar.

Gostou das dicas? Então compartilhe este artigo em suas redes sociais!

#Psicologia #VilaMariana #Psicóloga #SaúdeMental #Empatia #ClínicaDePsicologia #TerapiaCognitivoComportamental

Deixe uma resposta

Contato

Luana Nodari
Psicóloga/Neuropsicóloga
CRP: 06/112356

Localização

Rua Domingos de Morais, 2781 - cj 311
Vila Mariana, São Paulo, SP
CEP: 04035-001

Redes Sociais

Ao lado da estação do Metrô Santa Cruz

Estacionamento no local