Blog

Qual a diferença entre amor e paixão?

Qual a diferença entre amor e paixão
Amor ou paixão? Você sabe a diferença?

Amor e paixão. Se você está num relacionamento, provavelmente está experimentando um dos dois.

Ambos? Será?

Afinal, dá para separar amor e paixão?

Antes que você tire a prova, lendo o restante do texto, já vamos adiantar.

Os dois sentimentos são bem diferentes. E vivem muito bem, um sem o outro.

O problema é que, quando você está apaixonado, tende a misturar as coisas.

Acredita que ama — mas está apenas iludido por hormônios.

Como passa a associar toda a excitação do início de namoro com amor, também se pega duvidando do sentimento, quando a paixão esfria.

Para desfazer esse nó — e te ajudar a descobrir o que realmente você está sentindo — fizemos uma espécie de checklist sobre amor e paixão.

Preparado para revelações?

Então siga a leitura!

Amor e paixão: o que você precisa saber para perceber as diferenças

Já que estamos dizendo que amor e paixão são coisas diferentes, está na hora de provar essa afirmação.

Para começar, que tal desvendar alguns segredos da química da paixão?

desvende alguns segredos da química da paixão
O que os hormônios tem a ver com a paixão?

Confira 3 informações que, provavelmente, ninguém nunca te contou:

1. Você está apaixonado e não sabe explicar o motivo? 

Talvez até se sinta atraído pela “pessoa errada”? 

Calma, não há nenhum problema com você! 

De acordo com neurocientistas, a culpa está em nosso… nariz!

Acontece que nossas axilas secretam feromônios

Quando as narinas captam essas substâncias, uma região do cérebro (o hipotálamo) é estimulada, despertando sensações prazerosas.

Segundo essa explicação, portanto, sua paixão é uma reação química, que inicia pelo olfato.

2. Quando você se apaixona, seu corpo é bombardeado por hormônios (feniletilamina, dopamina e oxitocina, só para citar alguns).

Seus efeitos são semelhantes a uma droga — o que justifica aquela sensação de estar viciado na presença do ser “amado”. 

3. Ainda no quesito hormônios, os cientistas também descobriram que, durante a paixão, os níveis de serotonina despencam.

Isso nos leva a agir e pensar de modo um tanto irracional (aquela sensação de “perder a cabeça”). 

De acordo com estudos, essa queda na serotonina nos leva a um comportamento semelhante ao de pessoas com transtorno obsessivo compulsivo (TOC).

É em função de toda essa química que experimentamos os sintomas da paixão.

Então, se você acredita que está apaixonado, veja se você se identifica com estas características:

  1. Você idealiza a figura por quem está apaixonado. Ela, simplesmente, não tem defeitos!
  2. Você pensa na pessoa o tempo todo (pensamento obsessivo e intrusivo).
  3. Há muito desejo sexual envolvido.
  4. Você deseja estar próximo e sofre uma espécie de “abstinência” quando estão distantes.
  5. Seu coração dispara (chega a 150 batimentos por minuto) quando estão juntos — tudo culpa da adrenalina!
  6. Outras manifestações em seu corpo incluem lábios mais cheios e rosados, rubor facial, suor e pupilas dilatadas.
  7. Também é possível que seu apetite e sono diminuam durante a fase da paixão.
  8. Você tem muito medo de desagradar o parceiro (afinal, você não quer que ele vá embora!) e age demonstrando muito carinho, cuidado, atenção. É nesse ponto que muitos confundem amor e paixão.

Leia também: Crises de ciúme? Entenda quando é necessário procurar ajuda

Quando há reciprocidade na paixão, você se sente incrível. 

Seu bem-estar está nas alturas!

Você e seu par se sentem “fundidos”, como se fossem uma só pessoa.

Mas, como você pode presumir, toda essa alteração em seu corpo não pode durar para sempre. Sua própria sobrevivência estaria em risco.

Logo, a paixão tem prazo de validade: costuma durar até 48 meses.

Depois disso?

A relação pode chegar ao fim — já que não causa mais a euforia dos primeiros tempos.

Ou… pode evoluir para um próximo estágio: o amor.

Mas a diferença entre amor e paixão está apenas nos hormônios?

Lógico que os efeitos da feniletilamina e da dopamina desempenham seu papel.

Mas não podemos ignorar que outros elementos entram em cena quando falamos em relacionamentos humanos.

Compatibilidade de ideias, questões culturais e o comportamento do parceiro, por exemplo, também causam impacto.

E esses elementos são ainda mais relevantes quando a química da paixão perde seu poder.

Porque a paixão pode ser cega; já o amor, necessariamente, enxerga.

Assim, o amor é uma escolha mais racional.

Acontece quando, realmente, passamos a conhecer a pessoa com a qual convivemos.

Somos capazes de identificar “problemas” — mas praticamos a aceitação e o perdão.

O amor também é mais calmo, estável e duradouro.

Estabelece vínculos de amizade, companheirismo e confiança.

A atração se mantém, mas agora ela se manifesta por indícios que vão além da libido.

Quando duas pessoas se amam, elas apreciam a companhia uma da outra, mesmo que não estejam fazendo nada especial. Elas se sentem bem compartilhando o silêncio.

Os hormônios continuam atuando!

Porém, agora, as protagonistas da “química do amor” são as endorfinas, que geram ligação de longo prazo.

Enquanto paixão é vício, o amor é afeto.

É admiração, empatia. Respeito pela individualidade e identidade do parceiro.

Quando há amor, não se vive pelo outro. Mas com o outro.

Existem projetos de futuro e ambos estão dispostos a fazer concessões para que possam andar na mesma direção.

Paixão é entusiasmo. Amor é alegria.

Leia também: Brigas conjugais: 5 principais causas — e como evitá-las

Amor e paixão: em que fase do relacionamento você está?

Amor e paixão: em que fase do relacionamento você está?
Amar ou se apaixonar? Você escolhe!

Leu todas as características de amor e paixão? Sabe dizer o que você está sentindo neste momento?

No fim, pouco importa. Desde que lembre que é você quem decide em qual desses sentimentos vai apostar.

Prefere ser guiado pela paixão? Ótimo! Apenas se acostume com relacionamentos menos duradouros.

Decidido a dar uma chance ao amor? Perfeito também! Só não espere uma lua de mel eterna.

Não há certo e errado. O que existe são escolhas.

psicóloga Vila Mariana Luana Nodari

Luana Nodari é Psicóloga e Neuropsicóloga
Atende em sua clínica na Vila Mariana / SP, adolescentes e adultos,
através da Terapia Cognitivo-Comportamental
CRP: 06/112356

Deixe uma resposta

Contato

Luana Nodari
Psicóloga/Neuropsicóloga
CRP: 06/112356

Localização

Rua Domingos de Morais, 2781 - cj 311
Vila Mariana, São Paulo, SP
CEP: 04035-001

Redes Sociais

Ao lado da estação do Metrô Santa Cruz

Estacionamento no local

®

Psicóloga Luana Nodari. Todos os direitos reservados. Tai! Branding + Design + Marketing